Seja bem vindo à nosso site

Quando Jesus está no barco

“E, naquele dia, sendo já tarde, disse-lhes: Passemos para o outro lado.

E eles, deixando a multidão, o levaram consigo, assim como estava, no barco; e havia também com ele outros barquinhos.

E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia.

E ele estava na popa, dormindo sobre uma almofada, e despertaram-no, dizendo-lhe: Mestre, não se te dá que pereçamos?

E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança.

E disse-lhes: Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé?

E sentiram um grande temor, e diziam uns aos outros: Mas quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?”

(Marcos 4:35-41)

Na verdade neste dia os discípulos enfrentaram uma grande tempestade, uma tempestade que poderia ter acabado com suas vidas. Mas isto só se Jesus não estivesse no barquinho deles! Note que eram barcos frágeis, note também que a tempestade era terrível, mas isto não é o que importa. O Titanic foi construído como uma fortaleza flutuante, porém afundou em sua primeira viagem, os barquinhos dos discípulos não eram fortalezas, mas o que tem autoridade sobre o mar e sobre a tempestade estava com eles, isto é o que importa!

Provavelmente existiam embarcações melhores no mar naquele dia, embarcações mais seguras, embarcações que dariam um conforto maior a Jesus do que o daquela simples almofada. Mas Jesus não escolheu um barco assim, escolheu aquele onde mais precisavam dele! A nossa auto suficiência pode afastar a Deus de nós, pois a nossa riqueza não lhe chama a atenção e nem tão pouco a nossa glória lhe impressiona, mas ele inevitavelmente se compadece daquele que depende dele.

Quando a tempestade vem, é normal imaginarmos que Jesus não está se importando com a situação. Veja o que os discípulos lhe dizem: “Mestre, não se te dá que pereçamos?”. Não é exatamente assim que nos sentimos quando algumas tempestades desta vida nos surpreendem? Pensamos: será que o Senhor não se importa comigo? Não se importa com a minha família? Será que ele não vê a minha angustia? As minhas lágrimas não fazem diferença pra ele!? Mas aqui nós entendemos que quando o barco está quase afundando e ele ainda permanece dormindo sobre uma almofada, é porque ele está provando a nossa fé.

O fato é que, antes que as ondas engolissem de vez o barco, ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “aquieta-te.” O barco onde Jesus está jamais afunda. Não foi o desespero dos discípulos que fez com que ele agisse. Ele tinha o momento certo de acalmar a tempestade, e quando ele faz isto, o resultado é maravilhoso: “houve grande bonança”.

A obra do Senhor é perfeita, ele não transforma água em chá, ele a transforma em vinho! Ele não diminui um pouco a força do vento, ele faz que haja completa bonança!

E os discípulos mais uma vez são surpreendidos por ele, e dizem: “quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?”. E pensar que Natanael o seguiu simplesmente porque ele lhe disse: “Vi-te debaixo da figueira”. Bem que Jesus o havia prevenido: “Coisas maiores do que estas verás”. (João 1:50) Jesus já fez coisas grandes na sua vida? Mas tenha certeza, ele ainda vai te surpreender muitas vezes!

Buscando navegar sempre com Jesus no meu barquinho, assim eu sei que a tempestade não pode me afundar.

Sidone Gouveia

Autor