Seja bem vindo à nosso site

Palavra de vida eterna

O grande amor de Deus.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”         (João 3:16)

Você acabou de ler o versículo que é considerado o texto áureo da bíblia. Talvez seja também o mais conhecido de toda ela. Toda essa fama não é à toa. O fato é que aqui a Palavra nos revela duas coisas realmente fantásticas: o imenso amor de Deus pela coroa da sua criação, ou seja, o homem; e o seu maravilhoso plano para resgatá-lo da morte eterna.

Quando João pelo Espírito diz: “amou… de tal maneira”. Com este termo “tal” ele nos mostra como verdadeiramente foi grande a intensidade deste amor. De tal maneira, que não poupou seu filho unigênito. De tal maneira, que o fez um pouco menor que os anjos. De tal maneira, que depois de fazê-lo se tornar homem o entregou para ser pregado na cruz por mim e por você.

É maravilhoso também perceber o quanto o amor de Deus é atuante! E isso nós vemos quando João diz: “amou… de tal maneira que deu o seu Filho”. Deus nos amou e fez algo muito bom por nós. Seu amor não se resumiu em meras palavras, não foi da boca pra fora, mas se provou por atitudes.

Deus espera de nós uma atitude semelhante.

Já que ele nos amou a tal ponto de dar o que lhe era mais precioso, o seu filho unigênito! Ele espera que se o amarmos também estejamos dispostos a oferecer algo.

Agora para oferecer algo a Deus, nos veremos diante do dilema que viveu certo salmista: ”Que darei eu ao SENHOR…?” Pobre como somos diante dele, que é o dono do ouro e da prata, só nos resta oferecemo-nos a nós mesmos.

Foi o que Paulo também fez, pois diz: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” (Gálatas 2:20)

E a razão dessa atitude de Paulo encontramos também em seus escritos, em sua segunda carta ao Corintios, no capitulo cinco, verso quinze quando ele pelo Espírito diz: ”E ele [Jesus] morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.”.

Já que Cristo morreu por nós… O mínimo que podemos fazer é viver para ele!

Agora vem a melhor noticia, uma boa nova tremenda para toda humanidade… Este tão grande amor de Deus, este amor atuante e doador, produziu um resultado extraordinário para todo ser humano… Produziu um espetacular livramento da morte, da morte eterna. É exatamente isso que João diz: “para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

Que amor extraordinário! Para os que estavam destinados a morte, trouxe-lhes a vida, a vida eterna!

A “todo aquele que nele crê”.

Epa!… Temos um detalhe importante aqui.

Apesar do amor de Deus ter sido manifesto a todos, parece que existe uma condição para se beneficiar dele.

Para se realmente desfrutar deste tão grande amor de Deus, é preciso crer no seu filho!

E lembre-se: aquele que realmente crê que ele existe, não vive como se ele não existisse…

Não desperdice este tão grande amor!

por SIDONE GOUVEIA

Autor