Seja bem vindo à nosso site

Abraão: distinguido por causa da fé

Como estou concentrando, pela 52° vez, meus estudos da bíblia no livro de Gênesis, me senti impelido a escrever sobre um fato que me pareceu tão nu e patente aos olhos. Antes de chegar a Abrão propriamente dito, como propus no título, preciso dar uma contextualizada para introduzir o assunto.

Quando lemos os capítulos 10 e 11 de Gênesis, ficamos de diante de uma narrativa genealógica que descreve o nascimento de pessoas e a formação de três nações em especial, sendo elas as dos filhos de Noé: Sem, Cam e Jafé. Os dois capítulos chegam a citar dezenas e dezenas de nomes das três nações que estavam se formando. Das três, Deus escolhera uma, e desta, escolheu um homem.

Seria uma predestinação Deus ter escolhido Abrão/Abraão, – ou seja, tudo aconteceu porque Deus determinou assim – ou qualquer outro homem dos que foram citados nos versículos poderia ser o escolhido para dar sequência na historia de redenção humana, dando origem a uma nação santa para Deus? A resposta é não, Deus não predestinou Abraão – e você entenderá o porquê na sequência do texto.

Portanto, qualquer um dos homens citados, poderia ser escolhido para tal missão. Abraão, dentre tantos nomes, se distinguiu pelo mesmo e importante motivo que Noé havia se distinguido: pela fé e disposição em obedecer a Deus! Vejamos o caso de Noé: Noé foi chamado por Deus para construir uma Arca (palavra que quer dizer, no contexto bíblico, objeto flutuante), pois Ele faria chover sobre a terra. Veja que grandeza: Noé não precisou de provas para crer na palavra de Deus – até porque não tinham provas, pois nunca havia chovido antes; Noé nem conhecia chuva. E assim, por crer no que Deus falara, se distinguiu, e foi escolhido para dar sequência na historia da raça humana.

Deus, quando chama Abraão ainda no capítulo 11, como diz em Atos 7.2,3, lhe fez todas as promessas descritas já no início do capitulo 12, quando diz, por exemplo, que faria dele uma grande nação e engrandecerei o nome. O versículo quatro do capitulo 12, deixa claro que Abraão creu no que Deus lhe havia falado, pois, “partiu Abrão como o senhor lhe havia proposto”.

A completude dessas duas promessas, para a época de Abraão, implicava no cumprimento de somente uma, e a outra seria conseqüência: que era ter filhos.  No versículo 30 do capítulo 11, está registrado que Sarai/Sara, esposa de Abraão, era uma mulher estéril. Ou seja, Abraão não tinha razões lógicos para crer que Deus haveria de fazer dele uma nação, mesmo assim ele creu, e ele vivenciou o grande milagre ao ver uma mulher idosa e estéril dar a luz a um filho.

Por causa do ato de crer e não crer, nós podemos ser distinguidos de maneira positiva e negativa.  Abraão e Noé foram distinguidos positivamente, por crerem e obedeceram a palavra de Deus. Já Adão e Eva, negativamente, porque não creram que “certamente morriam” se comessem do fruto proibido.

A fé distinguiu tanto as pessoas que acreditaram no que o eterno falou, que o próprio Deus, ao inspirar o escritor de aos Hebreus, reservou o capitulo 11 inteiro para dar testemunho dessas pessoas. Você tem buscado motivos para crer no Deus te prometeu ou a palavra dele te é suficiente?

Autor