Seja bem vindo à nosso site

A autoridade das Escrituras

inspiração bíblicaO modo como olhamos para a escritura sagrada, é exatamente o mesmo  de como olhamos para Deus, pois a escritura não apenas têm a palavra de Deus, como ela é a palavra de Deus. O tomo sagrado contém as palavras que O Criador reservou para nos revelar com o fim de entendermos sua vontade e a obedeçamos. Durante toda a bíblia poderemos perceber que todos aqueles que pregaram a palavra do Senhor tinham um alto conceito acerca da mesma.

Para que possamos ser iluminados pelo Espírito Santo acerca do que de fato diz a palavra de Deus, devemos observar o modo como a vemos, pois se não compreendemos que a escritura é verdadeiramente a palavra de Deus jamais poderemos compreender a mensagem que ela nos traz. Na sua segunda a carta a Timóteo, o apóstolo Paulo nos adverte:

Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra. 2 Timóteo 3:16,17

Podemos observar claramente no texto que Paulo nos mostra, que a escritura é:

  1. Inspirada por Deus, por tanto o próprio Deus é o remetente do texto sagrado.
  2. Útil para ensinar, para repreender, para corrigir e formar na justiça, e com isso deve ser a primeira fonte a quem devemos recorrer para andar na lei de Deus e assim agradá-lo.
  3. E que por ela o homem de Deus se torna perfeito e, apto ou capacitado para toda boa obra. Ao vermos o emprego do termo “toda boa obra”, podemos inferir a ideia de que podemos fazer com perfeição as obras de Deus concernentes ao âmbito espiritual e comunitário (igreja), como também desempenhar com retidão nossas atribuições no mundo quando funcionamos na esfera secular.

Pode parecer algo muito lógico quando observamos essas afirmações, mas quando nos deparamos com o cenário evangelical no Brasil, fica evidente que a maioria (para não dizer toda) das heresias e falácias que surgem nas “igrejas”, têm principio na falha de observação da sagradas letras partindo da ótica de reconhecimento desses atributos que pertencem a mesma. Outro fator é o comum erro de aceitação a múltiplas interpretações sob a alegação de que cada pessoa pode interpretar a bíblia segundo sua própria visão.

Qualquer pessoa pode, e sendo cristão deve, ler a escritura sagrada, para que possa aprender qual é a boa, perfeita e agradável vontade de Deus, mas para interpreta-la é necessário um árduo estudo, para que se possa analisar o texto de forma fiel a inspiração com o qual ele foi escrito.

A análise da escritura é algo que deve ser tratada com o máximo respeito, pois as consequências podem ser terrivelmente catastróficas. Como saber por exemplo se alguém foi de fato convertido à Cristo e vivificado pelo Espírito Santo, se na reunião onde o mesmo se encontrava não houve uma pregação genuína do evangelho? Devemos levar em consideração o que a escritura diz:

“Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?
E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas.
Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem creu na nossa pregação?
De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”.
Romanos 10:13-17

Vemos que o papel da pregação da palavra de Deus no plano de salvação do ser humano é crucial, como pois poderá alguém ser salvo, se a mensagem não foi devidamente pregada com fidelidade e coerência a inspiração do Espírito Santo? Frente a informação do texto de Romanos, é terminantemente impossível.

Dessa forma levanto aqui o questionamento… As grandes massas que lotam as igrejas hoje são constituídas de fato pode crentes salvos em Cristo, ou de pessoas que “acham” que estão salvas? Levanto essa questão pois é nítido que o conteúdo da pregação que é feito em muitas igrejas, não é fiel ao que de fato fala a escritura.

Com isso nós podemos perceber quão grave pode ser o erro de não observar a autoridade, da escritura sagrada. Outro ponto é sua inerrância. É argumento de muitas pessoas que a bíblia foi escrita a muito tempo e que por isso, não é confiável.

No entanto estudiosos como arqueólogos e historiadores, comprovam que a bíblia está intacta em relação ao seu conteúdo. Vale salientar que quando dizemos que a bíblia é inerrante, admitimos que há “erros” na escritura, mas apenas no tocante as cópias. Pois hoje estão documentados mais de cinco mil (5.000) cópias da bíblia, por isso há erros de compilação, como exemplo; linhas duplicadas, repetição de nomes, mas nenhum desses erros compromete sua autenticidade, e coerência teológica.

Nenhuma doutrina ou informação correu ou corre perigo, pois aprouve Deus, preservar as sagradas letras, mantendo a mesma segura contra qualquer erro que pudesse por em “xeque” sua palavra.

Concluímos então, que a escritura sagrada é a palavra INFALÍVEL, INERRANTE E AUTORITATIVA de Deus para nós seus filhos e servos, e que por isso devemos respeita-la e nos curvar a ela, seguindo seus ensinos e estudando-a para que possamos alcançar o padrão de vida que o Senhor deseja para nós.

Autor